quinta-feira, 13 de maio de 2010

"EU APOIO ESTA IDÉIA ! VAMOS ORAR"





Louco desperdício

No dia 26 de agosto de 1727, 48 moravianos (antigos habitantes da atual República Tcheca) decidiram continuar em oração a partir da meia-noite daquele dia até a meia-noite do dia seguinte, revezando-se durante as 24 horas. No dia 27, já eram 77 irmãos orando e intercedendo, além de crianças que haviam se engajado nesta “aliança comunitária”. O bispo Hasse relata que, a partir desse dia, os moravianos não pararam de orar “por mais de cem anos”.

Fala-se muito em oração, mas ora-se muito pouco. A ausência da prática da oração em nossas vidas e em nossas igrejas é uma demonstração néscia de desperdício. Pois a oração é a ferramenta mais eficaz e o recurso mais precioso. Muitas vezes nós e nossos familiares estão no centro dos pedidos. Nada há de errado nisto, mas não é possível parar por aí. A intercessão em favor de outros é uma das marcas da igreja que serve.

Nestes tempos de uma espiritualidade centrada no indivíduo, o Mutirão de oração pelas crianças e adolescentes em risco é um bom exercício para que a igreja saia de si mesma, olhe para fora e intervenha no mundo dos pequenos, invadindo o terreno onde imperam pobreza, violência, desamor, fragilidade e trevas, e lutando para resgatar crianças feitas à imagem e semelhança de Deus.

Ultimato apoia este mutirão desde 2002. Anualmente paramos um tempo na primeira sexta feira do mês de junho, oramos todos e alguns de nós jejuam. Ao longo destes anos temos orado também pelos filhos de nossos colaboradores, para que não apenas sejam guardados, mas instrumentos nas mãos de Deus para abençoar outras crianças.

Falta pouco menos de um mês para o Mutirão! Será nos dias 4 a 6 de junho de 2010. Tempo suficiente para você mobilizar sua família, organização, comunidade de fé. Junte as crianças, os jovens e os idosos. Vamos nos lembrar de que durante estes dias estaremos juntos em oração.
Para mais informações visite nosso site. http://www.ultimato.com.br/

Rev. Elben M. Lenz César e Klênia Fassoni
Postar um comentário