sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

"FELIZ NATAL E UM ÓTIMO 2011 COM JESUS"

Assita esse vídeo e vamos começar o ano de 2011, descançando em Deus.




Cada vez que você se deixa levar pela ansiedade, está trazendo para o dia de hoje um sofrimento teórico que somente poderia via a atingi-lo no amanhã.

Dar lugar à ansiedade representa contrariar a própria vontade de Deus, que não deseja que você sofra e que se oferece para tomar em Suas poderosas mãos todos os seus problemas presentes e futuros.

Viver em vitória é uma questão que depende somente de sua fé no Senhor Deus do Universo. Se puder crer em Suas promessas, colocando sobre Ele as ansiedades, descobrirá uma nova dimensão de paz e alegria. 

Que Deus abençoe a todos em nome de Jesus !

Ass: Evangelista Geraldo de Almeida Filho (Geraldinho)

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

"15 RAZÕES PORQUE NÃO POSSO SER TESTEMUNHA DE JEOVÁ"

Os ensinamentos claros e cristalinos da Palavra de Deus não dão lugar a que se abrace as doutrinas dos Testemunhas de Jeová após um estudo bíblico completo. Os ensinamentos básicos dessa seita estão em conflito com as Escrituras. Quinze dos seus erros doutrinários excepcionais foram abaixo relacionados e constituem razões sólidas para que ninguém se filie aos Testemunhas se quiser continuar apegado a verdade divina.

1.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NEGAM A DIVINDADE ABSOLUTA E SINGULAR DE JESUS CRISTO.
As Escrituras demonstram que o Senhor Jesus Cristo é Jeová. Isaías 41:4, 44:6, e 48:12 declaram que o atributo de ser o "primeiro e último" pertence a Jeová somente. Apocalipse 1:7-8,11,17 e 22:13-14 apresentam Jesus Cristo com exatamente esse mesmo atributo, fazendo dEle, portanto, Jesus Cristo, o Jeová dessas passagens, e de todo o Velho Testamento.

Isaías 45:22-25 fala de uma adoração universal, que um dia toda a humanidade prestará a Jeová. Filipenses 2:9-11 aplica esta passagem de Isaías a Jesus Cristo.
Isaías 44:22-23 apresenta Jeová como Redentor. Efésios 1:7 estabelece Jesus Cristo como esse Redentor.
Em Isaías 45:24 e 54:17 Jeová é a nossa justiça. Em 1 Coríntios 1:30 Jesus Cristo é a nossa justiça.
Isaías 43:11 reserva a Jeová somente a obra da salvação do homem: "Fora de mim não há Salvador." Tito 2:13 ensina que Jesus Cristo é o Salvador, estabelecendo-O, portanto, como o Jeová de Isaías, capítulo 43.
O estudante honesto das Escrituras há de ler, estudar e comparar os versículos acima apresentados.

2.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ ENSINAM QUE JESUS CRISTO É UM SER CRIADO - SIMPLESMENTE UM OUTRO DEUS.
Este erro doutrinário foi criado pelos Testemunhas de Jeová através de sua estúria Tradução "Novo Mundo". que apresenta João 1:1 da seguinte maneira: "E o verbo era um deus". Isaías nega este erro enfaticamente em 43:10, 44:6 e 45:5,12, e prova que sua tradução de João 1:1 é ilegítima. Quatro vezes Jeová declara a impossibilidade de haver "um outro deus" ou "um deus" além dEle mesmo. Qualquer estudante honesto das Escrituras deve reconhecer a exclusividade única de Jeová.

3.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NEGAM A PERSONALIDADE E DIVINDADE DO ESPÍRITO SANTO.
Das muitas referências bíblicas que demonstram que isto não é verdade, João 16:13-14 é a principal. Oito vezes o Senhor Jesus se refere ao Espírito Santo usando o pronome pessoal masculino "ELE". A palavra grega "ESPÍRITO" é neutra mas o pronome empregado não é neutro mas masculino. Cristo estava teologicamente certo nisto, reconhecendo a personalidade do Espírito. Se o Espírito Santo não fosse uma pessoa, o pronome neutro é que seria usado e a gramática da passagem ficaria intacta. Jesus Cristo, o Filho de Deus, JAMAIS COMETEU UM ERRO.

Até a própria tradução "Novo Mundo" dos Testemunhas reconhece a personalidade do Espírito na tradução desses dois versículos. A divindade do Espírito Santo está claramente demonstrada nas referências abaixo que o estudante honesto deve estudar com todo o cuidado: Atos 5:3-4, 1 Coríntios 3:16, 2 Coríntios 13:14. Em 1 Coríntios 12:4-6 o Espírito Santo é chamado de Senhor, v. 5, e Deus, v. 6. Ao colocar Isaías 6:8-10 junto a Atos 28:25-27, toma-se evidente que o Deus de Isaías 6 é o Espírito Santo.

4.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NEGAM A DOUTRINA BÍBLICA DA TRINDADE.
Embora a verdade da Trindade seja considerada divertida pelos Testemunhas, ela não obstante constitui parte da revelação de Deus. O estudante da Bíblia descobre que há uma Pessoa nas Escrituras, conhecida como Pai, que é Deus, Efésios 1:2. Há uma outra Pessoa nas Escrituras, chamada de Filho, Jesus Cristo, e que é Deus, Tito 2:13. Há ainda uma outra Pessoa chamada de Espírito Santo, que é Deus também, Atos 5:3-4. A palavra grega theos, "Deus". foi usada em relação a todas essas três Pessoas, concedendo assim a mesma divindade a cada uma delas. O estudante cuidadoso também nota o fato da Trindade em, Isaías 48:17, 28:19, 2 Coríntios 13:14. A conclusão é simplesmente que há um só Deus manifesto nas três Pessoas conhecidas como Pai, Filho e Espírito Santo e, considerando que cada uma dessas Pessoas é Deus, elas são iguais.

5.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NEGAM A RESSURREIÇÀO FÍSICA E CORPORAL DE JESUS CRISTO.
A sua falsa doutrina declara: "O homem Jesus está morto, só o Seu espírito ressuscitou." O testemunho de Jesus Cristo é completamente diferente, Lucas 24:36-45. Mesmo um exame superficial do v. 39 desfaz qualquer dúvida referente à ressurreição corpórea. Tomé encontrou-se com o Cristo fisicamente ressuscitado, João 20:24-29, como também os outros discípulos que comeram peixe com Ele, João 21:12-14. Paulo testifica a ressurreição física de Jesus Cristo em 1 Coríntios 15:3-19. Os guardas junto à sepultura. os principais dos sacerdotes e o Sinédrio jamais teriam ficados, em Mateus 28:11,15, se "apenas o Seu espírito ressuscitasse".

6.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NEGAM A VOLTA FÍSICA E VISÍVEL DE JESUS CRISTO.
Eles dizem: "Não devemos esperar que Ele torne a voltar como um ser humano". A volta fica mais adequadamente traduzida por presença e se refere à presença invisível do Senhor. Contrastando com isso, o estudante da Bíblia descobre que a verdade é que JESUS CRISTO VAI VOLTAR novamente, física e literalmente. Em Apocalipse 1:7, "todo o olho o verá". Em 1 Tessalonicenses 4:16-17, "o Senhor mesmo...descerá dos céus" E em Atos 1:10-11, "assim virá do modo como o vistes subir". O testemunho dessas passagens é irrefutável.

7.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NEGAM A PRESENÇA DO CRENTE COM CRISTO APÓS A MORTE.
De acordo com 2 Coríntios 5:8, Filipenses 1:21-24 e Lucas 16:20-22, o crente, imediatamente após a morte, passa para a presença de Cristo. O corpo fica no solo, João 11:11-14, aguardando a ressurreição, 1 Coríntios 15:20-23, enquanto a alma e o espírito, agora separados do corpo, Tiago 2:16, entram no céu.

8.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ REPROVAM A ESPERANÇA QUE O CRENTE TEM DE IR PARA O CÉU.
João 14:1-3, Filipenses 3:20-21, 1 Pedro 1:3-5 e Apocalipse 3:12 são apenas algumas das muitas passagens bíblicas que falam da "esperança viva" de estar com Cristo para sempre.

9.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NEGAM A REALIDADE E ETERNIDADE DO CASTIGO FUTURO.
As Escrituras falam da realidade do inferno. O Senhor Jesus Cristo falou mais do inferno do que do céu e nos informou que o inferno é uma fornalha de fogo, Mateus 13:49-50, um lugar preparado para Satanás e os seus emissários, Mateus 25:41, de fogo que não se extingue, Marcos 9:42-48. Além disso, Ele insistiu no fato do inferno ser eterno. A palavra grega aionios, que traduz "aquilo que não tem fim". e que foi usada para descrever a vida eterna mencionada em João 3:16, e a eternidade de Deus em Romanos 16:26, foi deliberadamente usada por Cristo para descrever a duração do inferno, Mateus 18:8, e por João, em Apocalipse 14:11. Aionios não tem um significado duplo. Se ela quer dizer que Deus é eterno e a vida que o crente recebe é eterna, então deve significar que o inferno também é eterno.

10.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NEGAM A SALVAÇÃO PERFEITA DA CRUZ DE CRISTO.
Sem qualquer justificativa bíblica, os Testemunhas ensinam que o Milênio, os mil anos do reino de Cristo na terra, proporcionará a toda a humanidade, desde Adão em adiante, que ressuscitará, uma oportunidade, sob condições favoráveis, de receber a salvação eterna. Onde encontrar um único versículo bíblico que apoie tal coisa? O Senhor Jesus Cristo comprou nossa salvação na Cruz, Romanos 3:21-26, e resta ao homem crer e ser salvo, Efésios 2:8-9 e Atos 16:30-31. A salvação é totalmente a parte de qualquer esforço humano, Romanos 3:27-28.

11.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NEGAM O PATRIOTISMO E A CONTINÊNCIA À BANDEIRA.
As Escrituras ordenam aos crentes a serem cidadãos leais. O estudante cuidadoso verá isto em Romanos 13:1-7, 1 Pedro 2:13-15 e Mateus 22:21.

12.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ ESTÃO CONFUSOS QUANTO AOS 144.000.
Através de boas obras e esforço sincero um Testemunha de Jeová tem esperança de se tornar um membro do grupo dos 144.000. Nos dois capítulos em que foram mencionados os 144.000, Apocalipse 7 e 14, o estudante das Escrituras nota que os 144.000 são, realmente; Judeus das tribos, sem gentios entre eles, 7:4-8, são todos homens, 14:4, servirão durante a Grande Tribulação, 14:6-13, e não receberão a sua posição mediante obras mas serão designados por Deus, 7:3. Por mais que se force a imaginação. nenhuma interpretação bíblica aceitável pode garantir a essa seita gentia posição entre os 144.000.

13.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ USAM UMA TRADUÇÃO DETURPADA DA BÍBLIA.
A Tradução "Novo Mundo" das Escrituras Gregas Cristãs é uma tradução desajeitada do Novo Testamento, que não tem nenhuma reputação entre os mestres do grego. A tradução foi alterada para se encaixar na heresia. Por exemplo. a palavra allos. "outro". não aparece no texto grego de Colossenses 1:16-17, mas foi inserida quatro vezes em sua tradução para que Cristo apareça ser parte da criação e, desse modo, se encaixe em sua doutrina que afirma ser Ele um filho criado, um outro deus. "….porque por meio dEle todas as coisas foram criadas". Esta e dezenas de outras passagens tornam a tradução "Novo Mundo" em uma caricatura da Palavra de Deus.

14.OS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ TEM UM SISTEMA DOUTRINÁRIO QUE SE BASEIA NAS INTERPRETAÇÕES DE CHARLES TAZE RUSSEL.
Em 1874. um camiseiro do Brooklyn, chamado Charles Taze Russel, anunciou que era dono da verdade. Em suas muitas obras Russel "não deixou quase nenhuma grande verdade ou doutrina fundamental não tocada com suas conclusões heréticas e injustificadas". Dr. Win. E. Biederwolf. Conforme um cuidadoso estudo pode revelar, as obras de Russel servem de base fundamental para a estrutura dos Testemunhas de Jeová. Atualmente os Testemunhas de Jeová estão seguindo as conclusões falidas de um patife que se divorciou de sua esposa, teve problemas com os tribunais e que enganou seus seguidores vendendo-lhes "trigo milagroso" a preço exorbitante, o qual ele proclamava que produzia 15 vezes mais do que o trigo comum.

15.0S TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NEGLIGENCIAM A VASTA ÁREA DE VERDADES BÍBLICAS.
Uma análise cuidadosa dos diversos livros, panfletos, e revistas editados pela Torre de Vigia revela que apenas uma pequena porcentagem Bíblica foi por eles usada. Eles não citam mais de 7% das Escrituras, deixando o restante da Palavra de Deus não mencionada.

Autor: Robert Mignard

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

"MINHA FORMATURA"

Prezados ! A paz do Senhor Jesus ! Convido a todos para minha Formatura. Sua presença será uma honra para mim.

Dia: 21/01/2011 (Sexta-Feira)
Horário: 18:00 hs
Local: Espaço Multiuso - UFV. Viçosa-MG


 Evangelista Geraldo de Almeida Filho

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

"DECISÕES: PEDRAS OU PÃES!"

Nas férias, li um artigo muito interessante intitulado ‘bread or stone' (pão ou pedra). O que mais me chamou a atenção foi o modo como o autor lidou com o tema ‘tomada de decisões'. Utilizando a figura do pão e da pedra, ele trabalhou duas idéias básicas. A primeira é a de que a grande maioria dos líderes gosta de tomar decisões do tipo ‘pão' (aquelas que ‘alimentam' o grupo gerando contentamento e que são de fácil digestão).

Liderados gostam desse tipo de decisão e chegam a aplaudir seus líderes quando estes a tomam. Esses líderes se esquecem, porém, de onde vem o pão: da farinha! Decisões desse tipo, em geral, não servem para construirmos grandes ações no Reino. Apesar de agradar a maioria, a curto prazo, acabam se tornando ineficientes e prejudiciais ao grupo. 

Por outro lado, existem decisões do tipo ‘pedra' (são aquelas ‘duras de engolir' e que ‘não servem de travesseiro'). A grande maioria dos liderados detesta quando o líder toma uma decisão assim e, em geral, reclama, tentando transformar a ‘pedra' em ‘pão'. Dizem que o líder é ‘duro demais' ou então que não tem ‘jogo de cintura'. A questão é que com pedras podemos construir alicerces que no futuro darão segurança e estabilidade a nossos investimentos no Reino de Deus.

Sempre esbarraremos em ‘pedras e pães'. Precisamos de sabedoria para não nos deixarmos influenciar por nossos expectadores e darmos o pão na hora errada ou oferecermos a pedra quando os alicerces já estão construídos. E é aqui que entra o discernimento. Sem ele temos de tudo para errar, mas com ele o acerto já é garantido. Na prática, o discernimento seria a arte de dar pão e pedra de acordo com as necessidades do Reino. Como descobrir isso? Precisamos de intimidade com Deus para ouvirmos a voz do Espírito Santo mas também de avaliação honesta, crítica e profunda sobre a situação. Não podemos ser dirigidos por comentários infundados, opiniões que não expressam a realidade ou então provocações de nossa carnalidade. Com discernimento, poderemos agir motivados pelo que é certo e não pelo que é simpático; pelo que é proveitoso para o Reino e não proveitoso para um pequeno grupo de pessoas; pelo que é melhor a longo prazo e não apenas melhor para um momento.

Pensando neste tema, lembrei das palavras de Jesus "não só de pão viverá o homem..." e "sobre essa pedra edificarei minha Igreja'. É mais fácil carregar e distribuir pães do que pedras. E aí mora o perigo: fazermos o mais fácil. Quem quer produzir pão precisa primeiro construir sua padaria, e aí entra a figura da pedra que dá a solidez para construção e pode ser utilizada até mesmo para erguer as paredes. Nossas decisões devem priorizar a solidez e o correto. Se os pães puderem ser utilizados depois, então, que nós os distribuamos. Alimentar o liderado não é o bastante: precisamos dar-lhe uma base sólida para que ele tenha onde se abrigar nas tempestades da vida.

Que descubramos como carregar e distribuir pedras para a edificação. E que após isso tenhamos a alegria de entregar muitos pães, quentinhos e saborosos, que, com certeza, gerarão satisfação a todos.

REFLEXÃO

1.  Você está diante de decisões do tipo ‘pedra e pão?
2.  Com discernimento, qual é a decisão ideal para esse momento?
3.  Sua liderança tem sido marcada pela solidez ou apenas pela simpatia?
4.  Você tem construindo um ministério sólido, mesmo quando algumas decisões desagradam seus liderados?
5.  Você é guiado pelo discernimento ou pelos apelos emocionais de um grande ou pequeno grupo?
6.  Deus tem te dado pedras ou pães para a distribuição?

Só um lembrete: pedra não é espinho. É possível entregar pedras sem ferir ninguém. Por outro lado, pão, depois de algum tempo, pode se tornar duro como uma pedra.

Que Deus nos dê sabedoria nas decisões.

AUTOR: Guilherme Ávilla Gimenez

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

"OS PAIS APOSTÓLICOS"

Os Pais Apostólicos

           O nome “pais apostólicos” tem sua origem na Igreja do Ocidente do século II. São chamados de “pais apostólicos” os homens que tiveram contato direto com os apóstolos ou, então, foram citados por alguns deles. Destacam-se entre os indivíduos que regularmente recebem esse título, Clemente de Roma, Inácio e Policarpo, principalmente este último, pois existem evidências precisas de que ele teve contato direto com os apóstolos.

Clemente de Roma (30-100)

Várias hipóteses já foram levantadas sobre Clemente para identificá-lo. Para alguns, ele pertencia à família real. Para outros, ele era colaborador do apóstolo Paulo. Outros ainda sugeriram que ele escreveu a carta aos Hebreus. Em verdade, as informações a respeito de Clemente de Roma vão desde lendárias a testemunhas fidedignas. Alguns pais, como Orígenes, Eusébio de Cesaréia, Jerônimo, Irineu de Lião, entre outros, aceitaram como verdadeira a identificação de Clemente de Roma como colaborador do apóstolo Paulo.

A principal obra de Clemente de Roma é uma carta redigida em grego, endereçada aos crentes da cidade de Corinto, mais ou menos no final do reinado de Domiciano (81-96) ou no começo do reino de Nerva (96-98). A epístola trata, principalmente, da ordem e da paz na Igreja. Seu conteúdo traz à tona o fato de os crentes formarem um corpo em Cristo, logo deve reinar nesse corpo a unidade, e não a desordem, pois Deus deseja a ordem em suas alianças. Traz, ainda, a analogia da adoração ordeira do Antigo Israel e do princípio apostólico de apontar uma continuidade de homens de boa reputação.

Inácio de Antioquia (??-117)

Mesmo sendo de Antioquia, seu nome, Ignacius, deriva-se do latim: igne: “fogo”, e natus: “nascido”.

Conforme seu nome sugere, Inácio era um homem nascido do fogo, ardente, apaixonado por Cristo. Segundo Eusébio, após a morte de Evódio, que teria sido o primeiro bispo de Antioquia, Inácio fora nomeado o segundo bispo dessa influente cidade.

Inácio escreveu algumas epístolas às comunidades cristãs asiáticas: à igreja de Éfeso, às igrejas de Magnésia, situada no Meander, à igreja de Trales, às igrejas de Filadélfia e Esmirna e, por fim, à igreja de Roma. O objetivo da carta a Roma era solicitar que os irmãos não impedissem seu martírio, o que aconteceria durante o reinado de Trajano (98-117).

Antioquia

Foi fundada por volta do ano 300 a.C., por Seleuco Nicátor, com o nome de Antiokkeia, (cidade de Antíoco). Tornou-se capital do império selêucida e grande centro do Oriente helenístico. Conquistada pelos romanos por volta do ano 64 a.C., conservou seu estatuto de cidade livre e foi a terceira cidade do Império depois de Roma e Alexandria (no Egito), chegando a abrigar 500 mil habitantes. Evangelizada pelos apóstolos Pedro, Paulo e Barnabé, tornou-se metrópole religiosa, sede de um patriarcado e centro de numerosas controvérsias, entre elas, o arianismo, o monofisismo, o nestorianismo. Era considerada a igreja-mãe do Oriente.

Policarpo (69-159)

Sobre sua infância, família e formação, não temos informações precisas, contudo há documentos históricos sobre ele. Graças a alguns testemunhos fidedignos, podemos reconstruir sua personalidade. Foi discípulo do apóstolo João, amigo e mestre de Irineu, tendo ainda conhecido Inácio, sendo consagrado bispo da igreja de Esmirna. Quanto aos seus escritos, o único que restou desse antigo pai da igreja foi a sua epístola aos filipenses, exortando-os a uma vida virtuosa de boas obras e a permanecerem firmes na fé em nosso Senhor Jesus Cristo. Seu estilo é informal, com muitas citações do Velho e do Novo Testamentos.

Faz, ainda, 34 citações do apóstolo Paulo, evidenciando que conhecia bem a carta desse apóstolo aos filipenses, entre outras epístolas de Paulo. Há, também, os depoimentos de Eusébio e Irineu, relatando a intimidade de Policarpo com testemunhas oculares do evangelho. Segundo Tertuliano, Policarpo teria sido ordenado bispo pelas mãos do próprio apóstolo João.

O martírio de Policarpo

O martírio de Policarpo é descrito um ano depois de sua morte, em uma carta enviada pela Igreja de Esmirna à Igreja de Filomélio. Esse registro é o mais antigo martirológio cristão existente. Diz a história que o procônsul romano, Antonino Pius, e as autoridades civis tentaram persuadi-lo a abandonar sua fé, quando já avançado em idade, para que pudesse ser livre.

Ele, entretanto, respondeu com autoridade: “Eu tenho servido a Cristo por 86 anos e ele nunca me fez nada de mal. Como posso blasfemar contra meu Rei que me salvou? Eu sou um crente!”.

Justino, o mártir (100-170) 

Flávio Justino Mártir nasceu em Siquém, na Palestina, no início do segundo século e morreu mártir no ano 170. Depois de peregrinar pelas mais diversas escolas filosóficas (peripatética, estóica e pitagórica) em busca da verdade para a solução do problema da vida, abandonou o platonismo, último estágio de sua peregrinação filosófica. O amor à verdade fez que ele rejeitasse, pouco a pouco, os sistemas filosóficos pagãos e se convertesse ao cristianismo. Em sua época, foi o mais ilustre defensor das verdades cristãs contra os preconceitos pagãos.

Embora leigo, é considerado o primeiro “pai apologista” da Igreja, logo depois dos primitivos “pais apostólicos”, pois dedicou sua vida à difusão e ao ensino do cristianismo. Em Roma, abriu uma escola para o ensino da doutrina cristã e, ainda nessa cidade, dedicou-se ao apostolado, especialmente nos meios cultos, onde se movimentava com desembaraço. Escreveu muitas obras, mas somente três chegaram até nós: duas apologias contra os pagãos e um diálogo com o judeu Trifão.

Foi açoitado e, depois, decapitado.

Irineu (130-200) 

Nascido no ano 130, em Esmirna, na Ásia Menor (Turquia), e filho de uma família cristã, Irineu era grego e foi influenciado pela pregação de Policarpo, bispo daquela cidade. Anos depois, Irineu mudou-se para Gália (atual sul da França), para a cidade de Lyon, onde foi presbítero no lugar do bispo que havia sido martirizado em 177.

Além da pregação de Policarpo, Irineu recebeu influência de Justino, cujo ministério foi um elo entre a teologia grega e a latina, atuando, no início, junto com um de seus contemporâneos, Tertuliano.

Enquanto Justino era primariamente um apologista, Irineu contribuiu na refutação contra as heresias e na exposição do cristianismo apostólico. Sua maior obra foi desenvolvida no campo da literatura polêmica contra o gnosticismo.

Tertuliano de Cartago (150-230)

Nasceu por volta de 150 d.C., em Cartago (cidade ao nordeste da África), onde provavelmente passou toda a sua vida, embora alguns estudiosos afirmem que ele morasse em Roma. Por profissão, sabe-se que era advogado. Fazia visitas com freqüência a Roma, sendo que, aos 40 anos, se converteu ao cristianismo, dedicando seus conhecimentos e habilidades jurídicas ao esclarecimento da fé cristã ortodoxa contra os pagãos e os hereges.

Foi o pai das doutrinas ortodoxas da Trindade e da pessoa de Jesus Cristo. Suas doutrinas a respeito da Trindade e da pessoa de Cristo foram forjadas no calor da controvérsia com Práxeas que, segundo Tertuliano, “sustenta que existe um só Senhor, o Todo-Poderoso criador do mundo, apenas para poder elaborar uma heresia com a doutrina da unidade. Ele afirma que o próprio Pai desceu para dentro da virgem, que Ele mesmo nasceu dela, que Ele mesmo sofreu e que, realmente, era o próprio Jesus Cristo”.

Tertuliano foi o primeiro teólogo cristão a confrontar e a rejeitar com grande vigor e clareza intelectual essa visão aparentemente singela da Trindade e da unidade de Deus. Ele declarou que se esse conceito fosse verdade, então o Pai tinha morrido na cruz, e isso, além de ser impróprio para o Pai, é absurdo.

Orígenes (185-254)

Nasceu de pais cristãos em 185 ou 186 da nossa era, provavelmente em Alexandria. Era escritor cristão de vasta erudição, de expressão grega e, inicialmente, com ação em sua cidade natal. Estudou letras e aprendeu de cor textos bíblicos com seu pai, que foi morto por ocasião da repressão do imperador Sétimo Severo às novas religiões.

O bispo de Alexandria passou a Orígenes a direção da Escola Catequética, sendo então sucessor de Clemente. Estudou na escola neoplatônica de “Ammonios”. Viajou a Roma, em 212, onde ouviu ao sábio cristão Hipólito. Em 215, organizou em Alexandria uma escola superior de Exegese Bíblica. Devido ao seu vasto conhecimento, viajava muito e ministrava ao público nas igrejas.

O fato de se haver castrado por devoção lhe criou dificuldades com alguns bispos, que contrariavam o sacerdócio dos eunucos. Em 232, transferiu-se para Cesaréia, na Palestina, onde se dedicou exaustivamente aos seus estudos. Sobreviveu aos tormentos de que foi vítima sob o domínio do imperador Décio (250-252). Posteriormente a esta data, morreu em Tiro, não se sabendo exatamente quando.

Era considerado o membro mais eminente da escola de Alexandria e estudioso dos filósofos gregos. Acreditava que a alma preexiste e está subordinada à metempsicose. Aqui vemos nele uma tese tipicamente pitagórica e platônica, sendo abandonada depois pelo cristianismo oficial. Todavia, é relembrada ainda hoje por aqueles que a defendem como doutrina cristã: os espíritas.

Origem da palavra cânon

A palavra cânon vem do assírio “Qânu”. É usada 61 vezes no Antigo Testamento, sempre em seu sentido literal, que significa “cana”, “balança”. O primeiro a usar esse termo foi Orígenes, para se referir à coleção de livros sagrados, que eram ou serviam de regra e fé para o ensino cristão.

Cipriano (200-258)

Tharsius Caecilius Cyprianus. Converteu-se em 246 d.C. e, três anos depois, foi nomeado bispo de Cartago, no norte da África.

Durante dez anos, conduziu seu rebanho sob a perseguição do imperador Décio, uma das mais cruéis. Foi também o grande sustentáculo moral e espiritual da cidade de Cartago no período em que esta foi atacada por uma epidemia. Além disso, escreveu e batalhou pela unidade da Igreja.

Seu nome está ligado a uma grande controvérsia a respeito do batismo e da ordenação efetuada por hereges. No entender de Cipriano, essas cerimônias não valiam, pelo fato de os oficiantes estarem em desacordo com a ortodoxia. Assim, deveriam ser rebatizados e reordenados todos os que entrassem pela verdadeira Igreja. Estêvão, bispo de Roma, discordou com ele e isso gerou um cisma, uma vez que Cipriano, além de rejeitar a autoridade do bispo romano, convocou um concílio no norte da África para resolver a questão.

Seus escritos consistem em tratados de caráter pastoral e de cartas, 82 ao todo, das quais 14 eram dirigidas a ele mesmo e as restantes tratavam de questões de sua época.

Como mártir, morreu decapitado em 14 de setembro de 258 d.C, durante a perseguição do imperador Valeriano

Eusébio de Cesáreia (265-339)

Incentivado por Constantino, Eusébio fez a narração da primeira história do cristianismo, coroando-a com a sua imperial adesão a Cristo. “A ortodoxia era apenas uma das várias formas de cristianismo, durante o século III, e pode só ter se tornado dominante no tempo de Eusébio” (JOHNSON, 2001: 69).

Cesaréia

Fundada pelo rei Herodes no século I a.C. em um porto comercial fenício e grego denominado Torre de Straton, Cesaréia foi assim denominada pelo monarca em homenagem ao imperador romano César Augusto.

A cidade foi detalhadamente descrita pelo historiador judeu Flávio Josefo. Era uma cidade murada, com o maior porto na costa oriental do Mediterrâneo chamado “Sebastos”, nome grego do imperador Augusto.

Jerônimo (325-378)

Erudito das Escrituras e tradutor da Bíblia para o latim. Sua tradução, conhecida como a Vulgata, ou Bíblia do Povo, foi amplamente utilizada nos séculos posteriores como compêndio para o estudo da língua latina, assim como para o estudo das Escrituras.

Nascido por volta do ano 345 em Aquiléia (Veneza), extremo norte do Mar Adriático, na Itália, Jerônimo passou a maior parte da sua juventude em Roma, estudando línguas e filosofia. Apesar de a história não relatar pormenores de sua conversão, sabe-se, porém, que ele foi batizado quando tinha entre 19 e 20 anos. Depois disso, ele embarcou em uma peregrinação pelo Império que levou vinte anos.

Crisóstomo (344-407)

Criado em Antioquia, seus grandes dotes de graça e eloqüência, como pregador, levaram-no a ser chamado a Constantinopla, onde se tornou patriarca (ou arcebispo). Como os outros apologistas, harmonizou o ensinamento cristão com a erudição grega, dando novos significados cristãos a antigos termos filosóficos, como a caridade.

Em seus sermões, defendia uma moralidade que não fizesse qualquer transigência com a conveniência e a paixão, e uma caridade que conduzisse todos os cristãos a uma vida apostólica de devoção e de pobreza comunal. Essa piedosa mensagem, entretanto, tornou-o impopular na corte imperial, e também entre alguns membros do clero de Constantinopla, por isso acabou sendo banido e morreu no exílio.

Agostinho (354-430)

Aurélio Agostinho nasceu no ano de 354, na cidade de Tagaste de Numídia, província romana ao norte da África, atual região da Argélia. Agostinho iniciou seus estudos em sua cidade natal, seguindo depois para Cartago. Ensinou retórica e gramática, tanto no Norte da África como na Itália. Ficou conhecido como o filósofo e teólogo de Hipona. Polemista capaz, pregador de talento, administrador episcopal competente e teólogo notável, criou uma filosofia cristã da história que continua válida até hoje em sua essência.

Inspirado no tratado filosófico denominado “Hortensius”, de Cícero, converteu-se em ardoroso pesquisador da verdade, abraçando o maniqueísmo. Com vinte anos, perdeu o pai e tornou-se o responsável pelo sustento da família. Ao resolver que iria para Roma, sua mãe foi contra, então teve de enganá-la na hora da viagem. De Roma, foi para Milão, onde novamente passou a lecionar retórica.

Influenciado pelos estóicos, por Platão e pelo neoplatonismo, também estava entre os adeptos do ceticismo. Em Milão, porém, conheceu Ambrósio, que o converteu ao cristianismo. Depois disso, voltou ao norte da África, onde foi ordenado sacerdote e, mais tarde, consagrado bispo de Hipona. Combateu a heresia maniqueísta que antes defendia e participou de dois grandes conflitos religiosos: o Donatismo e o Pelagianismo. Sua obra mais conhecida é a autobiografia “Confissões”, escrita, possivelmente, no ano 400. Em “A cidade de Deus” (413-426) formulou uma filosofia teológica da história.
 
AUTOR: Matéria do ICP

"O VALOR TERAPÊUTICO DAS ESCRITURAS"

A Lei do Senhor é perfeita e revigora a alma
 
Salmo 19. 07
            A Lei do Senhor era lida pelos adultos e ensinada às crianças. Era objeto de conversa todo o dia, enquanto assentado em casa, enquanto andando pelo caminho, enquanto se preparando para dormir e para acordar. Era amarrada aos braços, presa na testa e escrita nos batentes das portas (Dt. 06. 06- 09). Feliz, muito feliz era aquele que meditava na Lei do Senhor dia e noite (Sl. 01. 01, 02). 
 
          Para o experiente salmista, “a Lei do Senhor é perfeita” , “os testemunhos do Senhor são dignos de confiança”, “os preceitos do Senhor são justos”, “os mandamentos do Senhor são límpidos” e as ordenanças do Senhor são verdadeiras” (Sl. 19. 07- 11). Mas o poeta de Israel não fica apenas na admiração e na contemplação. Ele enumera também o valor terapêutico da Palavra de Deus. A cada palavra elogiosa, menciona uma virtude dos oráculos divinos. Além de perfeita, a Lei do Senhor “revigora a alma”. Além de serem dignos de confiança os testemunhos do Senhor “tornam sábios os inexperientes”. Além de justos, os preceitos do Senhor “dão alegria ao coração”. O salmista não hesita em afirmar que “os mandamentos do Senhor são límpidos e trazem luz aos olhos” (Sl. 19. 07- 09). 
 
         Não se lê a Bíblia apenas para se tomar conhecimento da verdade. A verdade sozinha torna-se lei, torna-se um peso, torna-se cansativa e pode até mesmo gerar a tal soberba da verdade, a soberba teológica. A Palavra de Deus é leite para acabar com a fome, é alimento para fazer crescer, é lenha para atear fogo do entusiasmo, é combustível para pôr em movimento os bons propósitos do coração. A Escritura existe “para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra” (2 Tm. 03. 17). 

AUTOR: Rev. Elben M. Lenz César

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

"MOTIVAÇÃO!"

Prezados ! A paz de Cristo reine em vossos corações ! 

Coloquei um vídeo motivacional para vocês, assistam ele é muito bom.

Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?

Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?

Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.

Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós.

Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?

Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro.

Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.

Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,

Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor. (Romanos 08 v. 31 ao 39).

video
Que Deus vos abençoe ricamente em Cristo Jesus !

ASS: Evangelista Geraldo de Almeida Filho (Geraldinho)

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

"LIDERANÇA PASTORAL E FAMÍLIA SAUDÁVEL !"

"... Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor." (Josué 24.15)

Numa sala de aula, um grupo de líderes foi surpreendido com uma pergunta do professor. "Vocês estão dispostos a darem a vida pela Igreja de Cristo?", indagou o mestre, silenciando por alguns minutos, dando tempo para que processássemos a pergunta e respondêssemos com sabedoria. Alguns alunos quebraram o silêncio, e responderam que "sim", apresentando, cada um, as suas justificativas. Confesso que fui levado a dar a mesma resposta. Afinal, soa bem esta idéia de estarmos trabalhando arduamente por uma causa e por isso, todo sacrifício é válido para salvarmos as pessoas. Parece que o reconhecimento da igreja é maior para esse tipo de desprendimento, de líderes que desenvolvem um estilo pastoral mais "sacrificial".

Retomando a Palavra, o professor contrariou as justificativas de seus alunos com duas colocações: Primeiro, afirmou ele, não foi isso que Jesus pediu aos seus pastores; Segundo, é um sério erro de visão do ministério pastoral, que tem conduzido muitos líderes a desenvolverem o que chamou de "Síndrome de Messias". Uma expressão para significar a atitude de muitos líderes que se apresentam para o "sacrifício", trabalhando incansavelmente, dias, noites e madrugadas, justificado pelo serviço ao Reino de Deus e bem estar do seu rebanho. Alguns pastores estão, literalmente, morrendo pela igreja de Cristo, ou, em outra versão, estão matando seus ministérios. O professor ainda fez uma última afirmativa: "Somente um pode entregar a sua vida pela Igreja e morrer por ela: "Jesus". Ele já fez isso uma única vez e não pediu a ninguém mais para fazê-lo novamente".

O excesso de trabalho, a falta de cuidado com a saúde física, a ausência do lar, etc., tem sido confundido com a urgência do cuidado diligente da Igreja. Os pastores acabam vendo isso como condição normal do ministério, recebendo homenagens ao final da jornada, com destaques para seus "esforços além da conta ou sacrifícios sem medida". As conseqüências precisam ser avaliadas à luz de um histórico mais detalhados da vida do líder. Qual foi verdadeiramente o custo para o exercício do seu ministério? Comece perguntando às esposas e filhos, que são as pessoas mais autorizadas a falar sobre o assunto. 

A triste realidade é que esta entrega inconsequente, aceita pelos líderes da Igreja como processo natural da vocação, está levando ao sacrifício não apenas eles, mas infelizmente, também suas famílias. Esposas em silêncio, compreensivas ao chamado ministerial de seus esposos, quando podem compartilhar e abrir seus corações, revelam suas dores, frustrações, uma solidão velada, depressão disfarçada em sorrisos forçados na porta da Igreja. Filhos sem pais não é característica apenas de uma sociedade perversa, sem Deus. Esta realidade invade também os lares cristãos, inclusive dos pastores e líderes. Estudos já demonstraram que há um grande número de filhos de pastores que, ao alcançarem a idade da independência, abandonaram a Igreja. Podemos encontrar uma série de justificativas para esta realidade, mas não há como esconder o desequilíbrio entre o excesso pastoral e a ausência paternal como uma das causas. Filhos precisam de pai, mais do que de pastor!

Se não pode ser diferente, eu abdico do ministério pastoral. Mas estou certo de que não foi bem assim que Deus nos ensinou. Ele jamais destruiria aquilo que ele mesmo construiu e considerou muito bom. Se família é dádiva de Deus e o ministério pastoral é vocação e chamado do mesmo Deus, um não pode excluir o outro, e nem mesmo temos o direito de estabelecer uma hierarquia de valores entre família e ministério. Nesta escala, na maioria das vezes, a família sai perdendo. É possível conciliar o trabalho pastoral com o bem-estar da família do pastor? Esta pergunta deve ser respondida com ações, mais do que com palavras, pelo bem dos nossos filhos e de nossas esposas, que precisam de maridos em casa, mais do que de pastores.

Estas ações não diminuem o trabalho pastoral, mas o qualifica; não o incrimina diante de Deus, mas o credencia ainda mais para o exercício da liderança sobre a Igreja de Cristo; não o diminui diante da comunidade cristã, mas gera respeito e credibilidade maior pela vida familiar exemplar.

Reconheço que temos um alto preço a pagar para realizar um ministério pastoral efetivo e liderar a Igreja de Cristo com excelência. Porém, não deve estar incluso neste preço a destruição ou desintegração das famílias. Se assim acontecer, falhamos! 

"Ele deve governar bem sua própria família, tendo os filhos sujeitos a ele, com toda a dignidade. Pois, se alguém não sabe governar sua própria família, como poderá cuidar da igreja de Deus?" (1Tm 03.04,05)

Pense a respeito e peça a orientação de Deus para o exercício de um ministério eficaz em todas as direções. E, se preciso for, mude! Pelo bem-estar do ministério e da família, presente precioso de Deus.

AUTOR: EDISON  ZEMUNER

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

"AGENDA (ONDE ESTAREI)"

"AGENDA 2017"
 
JANEIRO - 2017

07/01/17 - Culto de Santa Ceia as 18:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
11/01/17 - Ministrando em um Culto Público as 19:30hs - Ass. de Deus Bairro Bom Jesus em Viçosa-MG.
22/01/17 - Ministrando no Culto e Jovens as 19:00hs - Ass. de Deus Bairro Santo Antônio em Viçosa-MG.
29/01/17 - Ministrando em um Culto Público as 18:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).

     
FEVEREIRO - 2017

04/02/17 - Culto de Santa Ceia as 18:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
06/02/17 - Ministrando Aula de Teologia as 19:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG.
07/02/17 - Ministrando Estudo Bíblico as 19:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
11/02/17 - Ministrando em uma Campanha as 19:00hs - Ass. de Deus no Bairro Amoras em Viçosa-MG.
13/02/17 - Ministrando Aula de Teologia as 19:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG.
17/02/17 - Curso de Capacitação na área Infantil as 19:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
18/02/17 - Curso de Capacitação na área Infantil as 19:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
20/02/17 - Ministrando Aula de Teologia as 19:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG.
25/02/17 - Ministrando em um Retiro as 19:00hs - Ass. de Deus Madureira em Visconde do Rio Branco-MG.
26/02/17 - Ministrando Estudo Bíblico as 09:00hs - Ass. de Deus no Bairro Amoras em Viçosa-MG.
26/02/17 - Ministrando em um Retiro as 19:30hs - Igreja Missionária em Viçosa-MG.
27/02/17 - Ministrando em um Retiro as 19:30hs - Ass. de Deus Taubaté em Visconde do Rio Branco-MG.
28/02/17 - Projeto Avivar as 19:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).


MARÇO - 2017

05/03/17 - Culto de Santa Ceia as 09:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
05/03/17 - Ministrando em um Culto Público as 19:00hs - Ass. de Deus na Zona Rural do Buieié em Viçosa-MG.
06/03/17 - Ministrando Palestra sobre: Ética e Valores  as 18:00hs - CESEC em Viçosa-MG.
06/03/17 - Ministrando Aula de Teologia as 19:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG.
11/03/17 - Culto da Mulher as 19:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
13/03/17 - Ministrando Aula de Teologia as 19:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG.
20/03/17 - Ministrando Aula de Teologia as 19:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG.
25/03/17 - Ministrando Aula no Seminário Batista as 08:30hs - Segunda Igreja Batista de Viçosa-MG.
25/03/17 - Ministrando em uma Semana Teológica as 16:00hs - Ass. de Deus Missão em Juiz de Fora-MG. 
27/03/17 - Ministrando Aula de Teologia as 19:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG.


ABRIL - 2017

01/04/17 - Culto de Santa Ceia as 09:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
03/04/17 - Ministrando Aula de Teologia as 19:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG.
09/04/17 - Ministrando em um Culto Missionário as 18:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
10/04/17 - Ministrando Aula de Teologia as 19:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG.
17/04/17 - Ministrando Aula de Teologia as 19:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG.
18/04/17 - Ministrando Estudo Bíblico as 19:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
22/04/17 - Congresso de Mulheres as 18:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
23/04/17 - Congresso de Mulheres as 18:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
24/04/17 - Congresso de Mulheres as 18:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
28/04/17 - Ministrando em um Culto Unificado de Jovens as 19:00hs - Ass. de Deus no Bairro Santa Clara em Viçosa-MG.
29/04/17 - Ministrando Aula no Seminário Batista as 08:30hs - Segunda Igreja Batista de Viçosa-MG.
30/04/17 - Ministrando Palestra para Jovens as 16:45hs - Ass. de Deus Missão em Juiz de Fora-MG.
30/04/17 - Ministrando em um Congresso de Jovens as 18:00hs - Ass. de Deus Missão em Juiz de Fora-MG.


MAIO - 2017

01/05/17 - Ministrando em um Encontro de Casais as 17:00hs - Ass. de Deus Taubaté em Visconde do Rio Branco-MG.
06/05/17 - Culto de Santa Ceia as 18:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
20/05/17 - Ministrando Aula no Seminário Batista as 08:30hs - Segunda Igreja Batista de Viçosa-MG.
20/05/17 - Ministrando em um Trabalho de Jovens as 17:00hs - Ass. de Deus em Oratórios-MG 
21/05/17 - Ministrando em uma Cruzada Evangelística as 09:00hs - Ass. de Deus em Cruzes-MG.
27/05/17 - Ministrando em um Congresso de Senhoras as 18:00hs - Ass. de Deus Missão em Goianá-MG.
28/05/17 - Ministrando em um Congresso de Senhoras as 18:00hs - Ass. de Deus Missão em Goianá-MG.


JUNHO - 2017

03/06/17 - Culto de Santa Ceia as 18:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
09/06/17 - Ministrando em um Encontro de Casais as 19:00hs - Ass. de Deus IADMA em Ubá-MG.
17/06/17 - Ministrando Aula no Seminário Batista as 08:30hs - Segunda Igreja Batista de Viçosa-MG.


JULHO - 2017

01/07/17 - Culto de Santa Ceia as 18:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
09/07/17 - Semana da Palavra as 18:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
10/07/17 - Semana da Palavra as 19:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
11/07/17 - Ministrando na Semana da Palavra as 19:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
12/07/17 - Semana da Palavra as 19:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
13/07/17 - Semana da Palavra as 19:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).

14/07/17 - Semana da Palavra as 19:00hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).
22/07/17 - Ministrando em um Congresso de Jovens as 18:00hs - Ass. de Deus no Bairro de Santa Clara em Viçosa-MG.


AGOSTO - 2017

05/08/17 - Culto de Santa Ceia as 18:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).


SETEMBRO - 2017

02/09/17 - Culto de Santa Ceia as 18:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).


OUTUBRO - 2017

07/10/17 - Culto de Santa Ceia as 18:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).


NOVEMBRO - 2017

04/11/17 - Culto de Santa Ceia as 18:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).


DEZEMBRO - 2017


02/12/17 - Culto de Santa Ceia as 18:30hs - Ass. de Deus em Viçosa-MG (SEDE).