terça-feira, 30 de junho de 2009

ESTUDO PARA LÍDERES DE “ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL”

TEMA: IIº Timóteo Cap. 02 v. 15

1. Temos uma missão e das grandes: Jesus falou várias vezes de sua própria palavra, mostrando a necessidade de ouvir e obedecê-la, porque seremos julgados por ela (Jo. 8:31, 12:47-48).

Jesus afirmou, também, ter recebido toda a autoridade e citou este fato como base das instruções aos apóstolos de ensinar as pessoas “de todas as nações... a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado”. Quando Jesus veio ao mundo e falou, ele falou a todas as pessoas. Cada um de nós precisa ouvir e obedecer à palavra dele. A palavra ensinar é repetida mais de 200 vezes na Bíblia.

2. O que é Escola Bíblica Dominical ? É o método de ensino da Bíblia, semanalmente, visando levar o aluno a:

· aceitar Jesus como Único Senhor e Salvador

· crescer na fé e no conhecimento bíblico

· por em prática os ensinos bíblicos

3. Duas bases imprescindíveis da EBD:

· A Bíblia

· Um intenso amor

4. O que é ser um Líder ? Liderança é o processo de conduzir um grupo de pessoas a um objetivo comum. Líder é aquele que recebe tal responsabilidade, assumindo o compromisso de levar o grupo àquele objetivo. Portanto, liderar exige conhecimentos, técnicas e aprendizado contínuo no trato de pessoas.

5. Princípios do mau Líder

· Têm que estar sempre certo: Eles precisam sempre ganhar as discussões.

· Perdem a calma por qualquer coisa: A maioria usa sua raiva.

· Externam seus problemas jogando a culpa nos outros: Aumentar os ressentimentos e a desmotivação dentro da sala.

· Têm pouca tolerância e nenhuma paciência: Tendem a desrespeitar e diminuir os demais.

· Têm medo de delegar: Tratam essas pessoas como se fossem escravos sem cérebro.

· Não têm um propósito maior na vida: Não estimulam as pessoas.

· Não têm a habilidade de reconhecer sinceramente: Não conhecem as pessoas pelo que elas são - somente pelo que produzem.

· Não têm autenticidade e honestidade: acha que pode enganar o público com pequenas mentiras, meias verdades e falsas promessas.

6. Visão dos verdadeiros Líderes da EBD:

· A Bíblia é a Palavra de Deus, viva e eficaz para mudar vidas.

· Trabalhamos com pessoas (alunos e professores), elas são mais importantes do que os métodos, a disciplina, etc.

· Somos servos, chamados por Deus para servir através da EBD.

· No domingo, estaremos presentes na EBD. Só faltaremos se estivermos doentes ou tivermos absoluta necessidade!

· Zelo e amor. Evitaremos assumir outros compromissos que atrapalhem este ministério. Dedicaremos tempo a este ministério.

· Nosso exemplo é muito importante.

· Qualquer mérito pelo serviço bem realizado é de Cristo.

7. Focos do Líder:

· Pessoas: Elas são o alvo da liderança. Não se lidera coisas, lideram-se pessoas!

· Objetivo: Sem objetivo, o grupo se perde, o líder não sabe para onde liderar seu grupo. Um objetivo principal.

8. Técnicas do bom Líder:

· Comunicar

· Delegar

· Inovar

· Motivar

· Planejar

9. Exemplo de Liderança: Jesus e Neemias

· Seu objetivo: salvar os homens do pecado, do mal e da morte.

· Comunicou: sua mensagem de amor e nova vida, na linguagem do povo da época (parábolas). Pregou em aramaico (língua corrente da Palestina).

· Delegou: a missão de espalhar a mensagem de salvação a todo o mundo.

· Inovou: rompeu com as arcaicas tradições religiosas da época. Ensinou ao ar livre, concedeu perdão a prostitutas e cobradores de impostos, curou no sábado.

· Motivou: enviou Seu Espírito para que seus discípulos saíssem das casas-esconderijos. Foi exemplo de conduta em todas as áreas humanas.

· Planejou: deu ordens específicas (amai-vos uns aos outros) e escolheu 12 homens para a liderança, treinando-os durante 03 anos.

· O objetivo é: "Servir a Cristo e Seu Reino, como embaixadores" (Mt. 6.33, 2 Co. 5.19-20)

· A prioridade é: "Almas." (Mt. 28.18-20)

· O método é: "Missionário, através do Corpo de Cristo (a Igreja)" (Mt. 16.18-19)

· O menor servo é: "eu" (Mc. 19.35, Lc. 9.46-48)

· A missão de Jesus foi combatida por Satanás (Mt 4), pelos homens (fariseus e saduceus), e ainda teve que enfrentar traição de um de seus discípulos e a ignorância de todos os demais! Pecado ou distorção doutrinária, aconselhamento, arrependimento e reconciliação.

· Sete aspectos fundamentais na vida dos líderes que os fazem se destacar: Caráter, Relações, Conhecimento, Intuição, Experiência, Êxitos passados e Capacidade.

· Neemias enfrentou oposição violenta para a reconstrução dos muros de Jerusalém. Mas sua determinação na obra foi notável (veja Ne. 4.1-23, 6.1-19).

· Entusiasmo: para enxergar o potencial.

· Amor: para preencher a insuficiência e animar sempre.

· Perdão: para oferecer, quando nem sempre tudo dá certo.

· Fé: para crer no poder do Espírito Santo agindo.

· Humildade: para mudar e aprender, ouvir sugestões e partilhar desafios.

"Alcançar esta geração para Jesus" é nosso lema, servos do Senhor! Não há caso perdido, o que há é nossa limitação, que sempre será superada pela ação do Espírito Santo (Zacarias 4.6). A EBD é o principal meio de ensino e um dos principais de evangelização.

Um dos maiores perigos da EBD é a rotina. Muitos cristãos julgam "frieza espiritual" quando os alunos mostram-se desinteressados, especialmente os adolescentes. Mas o que tem sido feito para inovar na EBD?

· Nossa visão: as almas

· Nossa base: a Bíblia

· Nosso método: o ensino

· Nossa paixão: Jesus

· Nosso alvo: a edificação e crescimento da Igreja de Cristo.

AUTOR: Presbítero Geraldo de Almeida Filho

sexta-feira, 26 de junho de 2009

"VASO QUEBRADO"

TEMA: SALMO 31 v. 12

O Salmo 31 é de autoria de Davi e pode ser rotulado como o Salmo da Libertação. A dedicatória ao mestre da música prova que este canto de compassos mistos e sons alternados de tristeza, angústia e alegria foi feito para ser um cântico público. Davi escreve este salmo por causa da rebelião de Absalão. O salmo oscila com demonstrações de confiança e lamentações.

1. (PROBLEMAS) PROVAÇÃO: (Sl. 31 v. 04 e 06) = “Tira-me da rede que para mim esconderam.” / “Odeio aqueles que se entregam a vaidades enganosas.”

2. AFLIÇÃO E ANGÚSTIA: (Sl. 31 v. 07) = “pois consideraste a minha aflição; conheceste a minha alma nas angústias.”

3. CALÚNIA E CONSPIRAÇÃO: (Sl. 31 v. 13) = “Pois ouvi a murmuração de muitos, temor havia ao redor; enquanto juntamente consultavam contra mim, intentaram tirar-me a vida.”

4. VASO QUEBRADO: (Sl. 31 v. 12) = “Estou esquecido no coração deles, como um morto; sou como um vaso quebrado.” / Um vaso quebrado nós sabemos o que é, vários cacos espalhados pelo chão e um conserto pela frente ou uma vassoura para varrê-lo.

5. (REAÇÃO) CONFIANÇA: (Sl. 31 v. 01) = “Em ti, SENHOR, confio; nunca me deixes confundido. Livra-me pela tua justiça.” / Podemos nos lamentar e nos esconder de tudo e de todos ou aceitar as consolações do Espírito. / (Sl. 31 v. 14) = “Mas eu confiei em ti, SENHOR; e disse: Tu és o meu Deus.”

6. REFÚGIO: (Sl. 31 v. 02 e 03) = “Inclina para mim os teus ouvidos, livra-me depressa; sê a minha firme rocha, uma casa fortíssima que me salve.” / “Porque tu és a minha rocha e a minha fortaleza; assim, por amor do teu nome, guia-me e encaminha-me.”

7. CLAMAR e CHORAR: (Sl. 31 v. 09 e 22) = “Tem misericórdia de mim, ó SENHOR, porque estou angustiado. Consumidos estão de tristeza os meus olhos, a minha alma e o meu ventre.” / “Pois eu dizia na minha pressa: Estou cortado de diante dos teus olhos; não obstante, tu ouviste a voz das minhas súplicas, quando eu a ti clamei.”

8. LOUVAR: (Sl. 31 v. 19 e 21) = “Oh! quão grande é a tua bondade, que guardaste para os que te temem, a qual operaste para aqueles que em ti confiam na presença dos filhos dos homens!” / “Bendito seja o SENHOR, pois fez maravilhosa a sua misericórdia para comigo em cidade segura.”

9. PREGAR: (Sl. 31 v. 23 e 24) = “Amai ao SENHOR, vós todos que sois seus santos; porque o SENHOR guarda os fiéis e retribui com abundância ao que usa de soberba.” / “Esforçai-vos, e ele fortalecerá o vosso coração, vós todos que esperais no SENHOR.”

Quando nos encontramos no meio de uma provação desagradável, qual é nossa reação? Voltamo-nos, quase impulsivamente, para algum recurso mundano? Enganamo-nos pensando que temos dentro de nós a capacidade para enfrentar e sermos corajosos (humanismo)? Ou buscamos a Deus ?


AUTOR: Presbítero Geraldo de Almeida Filho (Geraldinho)

quarta-feira, 24 de junho de 2009

"CRESCIMENTO ESPIRITUAL"


TEMA: II REIS CAP. 06 v. 01 ao 07.

Quando buscamos crescimento espiritual, Deus entra com providências.

1. QUANDO BUSCAMOS CRESCIMENTO ESPIRITUAL, ELE NOS FAZ VER QUE É PRECISO EXPANDIR - vs. 1.

O cristão e a igreja que estão buscando crescimento espiritual sentem que não devem nem podem se acomodar, pois o nosso espaço sempre será pequeno.

(Is. 54 v. 02 e 03) = "Amplia o lugar da tua tenda, e estendam-se as cortinas das tuas habitações; não o impeças; alonga as tuas cordas, e fixa bem as tuas estacas. Porque transbordarás para a direita e para a esquerda".

2. QUANDO BUSCAMOS CRESCIMENTO ESPIRITUAL, ELE DÁ A DIREÇÃO - v. 2.

Alguns cristãos pensam que hoje em dia Deus não mais dá a direção particular às igrejas ou aos cristãos; que Ele não mais nos diz o que deve ser feito.

(Jo. 03 v. 17) = “João respondeu, e disse: O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu.”

3. QUANDO BUSCAMOS CRESCIMENTO, ELE PREPARA UM INSTRUTOR – vs. 03

Moisés instruiu Josué; Elias instruiu Eliseu; Paulo instruiu Timóteo; Jesus instruiu os discípulos.

4. QUANDO BUSCAMOS CRESCIMENTO ESPIRITUAL, ELE NOS LEVA À DIMENSÃO DOS MILAGRES - v. 6.

Para o aprendiz de profeta que derrubou o ferro do machado na água, ali era o fim de seu ministério profético, entretanto, para Deus ali começava uma vida de milagre. O ponto final do homem é o ponto de partida de Deus.

5. CONCLUSÃO:

Se buscarmos crescimento espiritual, Deus mostrará que é preciso expandir (pois o espaço pequeno); Ele nos dará a direção do que deve ser feito e, se isso não bastasse, Ele nos preparará um instrutor e nos levará a uma vida onde milagres acontecem.


AUTOR: Presbítero Geraldo de Almeida Filho (Geraldinho)

"TURBULÊNCIA"


Foi ali no cenáculo que Jesus falou aos seus discípulos: “Não se turbe o vosso coração” (Jo 14.1). Outras versões dizem: “Não se perturbe o vosso coração”. A Bíblia na Linguagem de Hoje registra: “Não fiquem tristes e preocupados”. A paráfrase da Bíblia Viva afirma: “Que os corações de vocês não fiquem aflitos”.


Embora menos usado, o verbo turbar parece ser mais próprio que o verbo perturbar. Turbar significa revolver, agitar, transtornar, inquietar, desassossegar, sentir grande comoção, abalar-se, tornar-se sombrio. E é tudo isso que Jesus está pedindo aos seus discípulos para não fazer.

O momento era muito próprio para um conselho desta natureza. Estavam todos perplexos com a revelação de que um dos doze estava traindo a Jesus e que esse apóstolo era Judas, cujo verdadeiro caráter ninguém conhecia até então. Estavam todos perplexos porque Jesus havia revelado que logo Pedro o negaria três vezes ainda naquela noite. Estavam todos perplexos porque Jesus lhes havia asseverado: “Esta noite, todos vós vos escandalizareis comigo; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho ficarão dispersas” (Mt 26.31).

O pior, porém, estava para acontecer em seguida. Aquele que operava sinais extraordinários, que havia transformado água em vinho, que havia multiplicado pães e peixes, que havia acalmado o vento e as ondas do mar, aquele que curava toda sorte de enfermidade, que ressuscitava mortos, chamava de hipócritas os escribas e fariseus, pregava com autoridade, perdoava pecados, se aproximava de publicanos e pecadores, se apresentava como o enviado de Deus, aquele que escapou de ser preso e morto inúmeras vezes — seria entregue nas mãos dos homens para ser preso, zombado, espancado, humilhado e morto naquele mesmo dia.

Na mente ainda tacanha e incrédula dos discípulos, isso interromperia o ministério triunfante de Jesus. Eles não estavam levando em consideração a ressurreição do Mestre ao terceiro dia, tantas vezes anunciada pelo próprio Senhor. Era essa omissão que tornava aquele período de turbulência extremamente difícil. Três dias depois, o Senhor ressuscitou, como havia dito, e aquela turbulência acabou.

Em meio a uma turbulência qualquer, daquele ou de outro porte, menor e mais suave, as palavras de Jesus devem ser levadas em consideração: “Não se turbe o vosso coração”.

terça-feira, 16 de junho de 2009

OLÁ AMIGOS !



Pezados amigos e visitantes ! Quero agradecer a todos pela sua visita e pelas mensagens recebidas. Fico feliz em poder ajudar alguém e acrescentar algo para o Reino de DEUS. Este blog está com 240 dias aproximadamente que foi criado e já passamos de 11.900 visitas.

Isso é uma vitória !

Aos meus alunos do Curso de Teologia deixo para vocês apenas uma frase:

"DEUS É COM VOCÊS !"

Que DEUS continue vos abençoeando poderosamente.

ass: Evangelista Geraldinho

"ONDE ESTÃO OS PROFETAS ?"


TEMA: AMÓS Cap. 07 v. 14 ao 17

Deus quer PROFETAS para ir às nações. E onde estamos nós ?

Era humilde, não escondia sua origem: (AM. 07 v. 14)= Eu não sou profeta, nem filho de profeta, mas boiadeiro, e cultivador de sicômoros.

Era sábio, usava linguagem ao alcance do povo: (AM. 04 v. 01)= OUVI esta palavra vós, vacas de Basã, que oprimis aos pobres, que esmagais os necessitados, que dizeis a vossos senhores: Dai cá, e bebamos.

Era astuto, prendia a atenção do povo por julgar primeiro os inimigos: (AM. 01 v. 08)= E exterminarei o morador de Asdode, e o que tem o cetro de Ascalom, e tornarei a minha mão contra Ecrom; e o restante dos filisteus perecerá, diz o Senhor DEUS.

Era corajoso, falava a verdade: (AM. 03 v. 01 e 02)= OUVI esta palavra que o SENHOR fala contra vós, filhos de Israel, contra toda a família que fiz subir da terra do Egito, dizendo: De todas as famílias da terra só a vós vos tenho conhecido; portanto eu vos punirei por todas as vossas iniqüidades.

Era fiel, “Assim diz o Senhor” era a sua mensagem: (AM. 05 v. 04)= Porque assim diz o SENHOR à casa de Israel: Buscai-me, e vivei.

Temos que profetizar a indignação de Deus: Gafanhoto devorador= FOME. Fogo consumidor= FOGO. Fio do prumo= DESTRUÍÇÃO. Cesto de Frutos= POVO EM PODRIDÃO. Deus no altar= Dispersão do povo. (AM. 04 v. 12)= prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus.

O profeta profetiza bênçãos também: Levantará a Casa de Davi= Deus quer nos levantar e não nos destruir. Reparar as brechas= Tirar o que nos impedi de servi-lo. Reedificarei como nos dias antigos= Nos renovará como antes. Mudará a nossa sorte= Seremos abençoados por Ele. Plantará na sua terra= Alcançaremos o céu.

(AM. 08 v. 11 e 12)= Eis que vêm dias, diz o Senhor DEUS, em que enviarei fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do SENHOR. E irão errantes de um mar até outro mar, e do norte até ao oriente; correrão por toda a parte, buscando a palavra do SENHOR, mas não a acharão.
AUTOR: Presbítero Geraldo de Almeida Filho (Geraldinho)

terça-feira, 9 de junho de 2009

"TEMOS QUE ADORAR A DEUS"


TEMA: 2º CRÔNICAS Cap. 20 v. 21

O que significa louvar ? R: Bendizer, Dar graças. Enquanto a adoração fala do que somos, o louvor fala do que fazemos. A adoração é gerada dentro do homem, onde só Deus pode ver. O louvor inevitavelmente se exterioriza, onde os homens também podem ver. Adoração significa reverência a Deus, através de uma vida de reconhecimento e amor. Não é possível adorar sem louvar, mas é possível louvar sem adorar.

A quem devemos louvar ? R: Somente a Deus. (Mt. 04 v. 10) = Então ordenou-lhe Jesus: Vai-te, Satanás; porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás.

Louve a Deus, porque Ele é bom ! (1º Cr. 16 v. 34) = Louvai ao SENHOR, porque é bom; pois a sua benignidade dura perpetuamente.

Louve para exaltar o poder de Deus ! (Sl. 137 v. 02 ao 04) = Sobre os salgueiros que há no meio dela, penduramos as nossas harpas. Pois lá aqueles que nos levaram cativos nos pediam uma canção; e os que nos destruíram, que os alegrássemos, dizendo: Cantai-nos uma das canções de Sião. Como cantaremos a canção do SENHOR em terra estranha? (Sl. 103 v. 02) = Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios.

Louve, para que os demônios saiam ! (1º Sm. 16 v. 23) = E sucedia que, quando o espírito mau da parte de Deus vinha sobre Saul, Davi tomava a harpa, e a tocava com a sua mão; então Saul sentia alívio, e se achava melhor, e o espírito mau se retirava dele.

Louve, pois Deus habita nos louvores ! (Sl. 22 v. 03) = Porém tu és santo, tu que habitas entre os louvores de Israel. (Ex. 19 v. 16) = Ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões, relâmpagos, e uma nuvem espessa sobre o monte; e ouviu-se um sonido de buzina mui forte, de maneira que todo o povo que estava no arraial se estremeceu. “Neste contexto o shophar trouxe à existência a Palavra de Deus, ele é a voz de Yahweh.”

Louve, pois as barreiras são rompidas ! (Js. 06 v. 04) = Sete sacerdotes levarão sete trombetas de chifre de carneiros adiante da arca; e no sétimo dia rodeareis a cidade sete vezes e os sacerdotes tocarão as trombetas. (Js. 06 v. 20) = Gritou, pois o povo, e os sacerdotes tocaram as trombetas; ouvindo o povo o sonido da trombeta, deu um grande brado, e o muro caiu rente ao chão, e o povo subiu à cidade, cada qual para o lugar que lhe ficava defronte, e tomaram a cidade.

Louve, pois há milagres ! (Jz. 07 v. 22) = Tocando, pois, os trezentos as buzinas, o SENHOR tornou a espada de um contra o outro, e isto em todo o arraial, que fugiu... (Sl. 146 v. 09) = Estejam na sua garganta os altos louvores de Deus, e espada de dois fios em suas mãos, para fazerem neles o juízo escrito; esta será a glória de todos os santos. Louvai ao SENHOR.

Louvor é o que fazemos para que Ele venha! Adoração é o que fazemos quando Ele se manifesta! Louvor nos traz à presença de Deus! Adoração responde à presença de Deus! Portanto, abra sua boca aí mesmo onde você está! Que os altos louvores do Senhor sejam ouvidos em sua vida!
AUTOR: Geraldo de Almeida Filho (Geraldinho)
video

"TEMOS QUE SEGUIR"

TEMA: Iº TM. Cap. 06 v. 11 e 12

Paulo aconselha Timóteo e nós crentes de hoje precisamos seguir os mesmos conselhos...

Foge destas coisas: Desobediência aos Patrões, Outra doutrina, Soberba, Contenda, Inveja, Amor ao dinheiro, Desvio da Fé. (Gl. 05 v. 21 b) = Acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.

Segui estas: Justiça, Piedade, Fé, Amor, Paciência, Mansidão. (Gl. 05 v. 25) = Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito.

Peleja: Batalhar, Guerrear. (Iº Sm. 25 v. 28) = Perdoa, pois, à tua serva esta transgressão, porque certamente fará o SENHOR casa firme a meu senhor, porque meu senhor guerreia as guerras do SENHOR, e não se tem achado mal em ti por todos os teus dias. (Ex. 14 v. 25) = Então disseram os egípcios: Fujamos da face de Israel, porque o SENHOR por eles peleja contra os egípcios.

Tomar posse: Vida Eterna. (Dt. 01 v. 21) = Eis aqui o SENHOR teu Deus tem posto esta terra diante de ti; sobe, toma posse dela, como te falou o SENHOR Deus de teus pais; não temas, e não te assustes. (Iº Jo. 02 v. 25) = E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna.

Testemunhar: Somos de Cristo. (Iº Co. 14 v. 25) = Portanto, os segredos do seu coração ficarão manifestos, e assim, lançando-se sobre o seu rosto, adorará a Deus, testemunhando que Deus está verdadeiramente entre vós. (Ap. 12 v. 11) = E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até a morte.
AUTOR: Presbítero Geraldo de Almeida Filho (Geraldinho)

sexta-feira, 5 de junho de 2009

"CONSELHOS DE PAULO AOS JOVENS PASTORES"

Além das nove cartas gerais aos romanos, coríntios, gálatas, efésios, filipenses, colossenses e tessalonicenses e da carta pessoal a Filemon, Paulo escreveu três cartas pastorais, duas a Timóteo e uma a Tito. Ambos são tratados como “verdadeiros filhos na fé” (1Tm 1.2; Tt 1.4).

Nessas cartas pastorais, há dezenas de exortações. Os verbos sempre estão no imperativo, como, por exemplo: “Combata o bom combate”, “Exercite-se na piedade”, “Fortifique-se na graça”, “Pregue a palavra”, “Seja moderado” etc. Se você fizer um arranjo classificado desses imperativos, encontrará dez exortações básicas.

1. Cuidado com a saúde
“Não continue a beber somente água; tome um pouco de vinho, por causa do seu estômago e das suas freqüentes enfermidades” (1Tm 5.23)

2. Cuidado com a vida devocional
“Exercite-se na piedade. O exercício físico é de pouco proveito; a piedade, porém, para tudo é proveitosa” (1Tm 4.7-8).
“Fortifique-se na graça que há em Cristo Jesus” (2Tm 2.1).

3. Cuidado com a sexualidade
“Trate as moças como a irmãs, com toda a pureza” (1Tm 5.2).
“Conserve-se puro” (2Tm 5.22).
“Fuja dos desejos malignos da juventude” (2Tm 2.22).

4. Cuidado com o exemplo
“Seja um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé e na pureza” (1Tm 4.12).
“Dedique-se inteiramente a elas [à leitura pública das Escrituras, à exortação e ao ensino], para que todos vejam o seu progresso” (1Tm 4.15).
“Busque a justiça, a piedade, a fé, o amor, a perseverança e a mansidão” (1Tm 6.11).
“Guarde este mandamento imaculado e irrepreensível, até à manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo” (1Tm 6.14).
“Em tudo seja você mesmo um exemplo para eles, fazendo boas obras” (Tt 2.6).

5. Cuidado com a moderação
“Seja moderado em tudo” (2 Tm 4.5).
A prática do equilíbrio é a arte de se aproximar o máximo possível da medida certa no tempo certo, pelo acurado exercício do bom senso e sob a orientação da Palavra de Deus em seu todo e do Espírito Santo. Moderação nunca é neutralidade, hesitação contínua, passividade, medo de riscos, desejo de agradar uns e outros ou fuga da responsabilidade. Ao contrário do que se pensa, a moderação em geral é a mais trabalhosa e a mais criticada das posições, pois não conta com o apoio das multidões que se encontram num extremo e no outro.
A falta de moderação cria divisões na igreja, dá à luz movimentos heréticos, gera fanatismo e produz falsos profetas.

6. Cuidado com o sofrimento
“Suporte os sofrimentos” (2Tm 4.5).
Não atraia o sofrimento. Não o hospede. Não se entregue. Não se irrite. Não brigue com Deus. Ore mais intensamente (Tg 5.13; Lc 22.44). Aguarde o socorro do Senhor. Aproveite o sofrimento próprio para entender o sofrimento alheio, para pastorear melhor os que sofrem. Tire outros proveitos do sofrimento para você mesmo e para os outros.

7. Cuidado com a doutrina
“Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja corretamente a palavra da verdade” (2Tm 2.15).
“Atente bem para a sua própria vida e para a doutrina” (1Tm 4.16).
“Rejeite as fábulas profanas e tolas” (1Tm 4.7).
“Retenha o modelo da sã doutrina que você ouviu de mim” (2Tm 1.13).
“Permaneça nas coisas que aprendeu e das quais tem convicção” (2Tm 3.14).
“Fale o que está de acordo com a sã doutrina” (Tt 2.1).
“Quero que você afirme categoricamente essas coisas, para que os que crêem em Deus se empenhem na prática de boas obras. Tais coisas são excelentes e úteis aos homens” (Tt 3.8).

8. Cuidado com o pastoreio
“Não repreenda asperamente o homem idoso, mas exorte-o como se ele fosse seu pai; trate os jovens como a irmãos; as mulheres idosas, como a mães” (1Tm 5.1).
“Não aceite acusação contra um presbítero, se não for apoiada por duas ou três testemunhas” (1Tm 5.19).
“Procure observar essas instruções sem parcialidade; e não faça nada por favoritismo” (1Tm 5.21).
“Não se precipite em impor as mãos sobre ninguém e não participe dos pecados dos outros” (1Tm 5.22).
“Evite as controvérsias tolas e inúteis, pois você sabe que acabam em brigas. Ao servo do Senhor não convém brigar mas, sim, ser amável para com todos” (1Tm 2.23-24).

9. Cuidado com a mensagem
“Se você transmitir essas instruções aos irmãos, será um bom ministro de Cristo Jesus, nutrido com a verdade da fé e da boa doutrina que tem seguido” (1Tm 4.6).
“Dedique-se à leitura pública da Escritura, à exortação e ao ensino. Não negligencie o dom que lhe foi dado por mensagem profética com imposição de mãos dos presbíteros” (1Tm 4.13-14).
“As palavras que me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confie-as a homens fiéis que sejam também capazes de ensinar outros” (2Tm 2.2).
“Faça a obra de um evangelista” (2Tm 4.5).
“Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo, repreenda, corrija, exorte com toda a paciência e doutrina” (2Tm 4.2).

10. Cuidado com a centralidade de Jesus Cristo na proclamação das boas notícias
“Lembre-se de Jesus Cristo, ressuscitado dos mortos, descendente de Davi, conforme o meu evangelho” (2Tm 2.8).
A Ceia do Senhor é o elo de ligação entre o Jesus da Paixão e o Jesus da Glória, entre o primeiro e o segundo adventos. É para comer o pão “em memória de mim” (1Co 11.24). É para beber o vinho “em memória de mim” (1Co 11.25). Várias vezes, muitas vezes, “até que Ele venha” (1Co 11.26).

É para lembrar não do Jesus histórico, mas do Jesus das boas notícias. Do Verbo que “tornou-se carne e viveu entre nós” (Jo 1.14). Daquele que “esvasiou-se a si mesmo” e foi encontrado “em forma humana” (Fp 2.7-8). Daquele que foi chamado de Emanuel, que significa “Deus conosco” (Mt 1.23). Daquele que é a imagem visível “do Deus invisível” (Cl 1.15, Jo 14.9). Daquele que “é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser” (Hb 1.3). Daquele que rasgou ao meio o véu do santuário (Lc 23.45). Daquele que assentou-se à direita da Majestade nas alturas “depois de ter realizado a purificação dos pecados” (Hb 1.3). Daquele que abriu o livro selado com sete selos e desemperrou a história da redenção (Ap 5.1-5). Daquele que foi exaltado “à mais alta posição” e recebeu “o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai” (Fp 2.9-11).

É para lembrar da concepção sobrenatural de Jesus, de sua natureza divina e de sua natureza humana, de sua “imatabilidade” (Jo 10.18), de seu sacrifício vicário, de sua ressurreição, de sua ascensão, de seu ministério atual de colocar todos os poderes e estruturas adversos à criação e ao bem-estar do ser humano debaixo de seus pés (1Co 15.25), de sua volta “com poder e grande glória” (Mt 24.30), de seu espetacular triunfo sobre a morte, “a angústia básica de todo ser humano” (Ana Maria de Souza Barbosa), “a grande neurose de todo ser humano” (Roberto Chabo), “a mais fria anti-utopia” (Bloch)!

AUTOR: Elben M. Lenz César

"Olhando para os céus, para as entranhas e para o Agnus Dei"

Que é o homem, para que com ele te importes? (Sl 8.4)

Quando olhamos para fora de nós, para muito longe, para os céus, descobrimos que somos pequenos demais. Pois o lugar onde habitamos não passa de um diminuto planeta que integra o sistema solar, que, por sua vez, é apenas uma parte minúscula de uma galáxia chamada Via Láctea, composta de mais de 100 bilhões de estrelas. O espanto será muito maior se nos lembrarmos de que existem 100 bilhões de galáxias (mais de 15 para cada terráqueo), além dos distantes e brilhantes quasares.

Quando olhamos para dentro de nós, para bem perto, para as entranhas, descobrimos que somos miseráveis demais. Pois o pecado habita lá dentro, está encostado a nós e nos faz seus prisioneiros (Rm 7.14-23). O espanto será maior se nos lembrarmos daquela passagem que diz sem rodeios que o nosso interior “está cheio de maldade e de loucura durante toda a vida” (Ec 9.3). Ao examinar-se seriamente, C.S. Lewis encontrou algo que o assustou: “Um bestiário de luxúrias, um hospício de emoções, um canteiro de medos, um harém de ódios mimados”.

Quando olhamos para o Agnus Dei, o Cordeiro de Deus, o Cordeiro que desceu do céu, o Cordeiro feito gente, o Cordeiro que foi levado ao matadouro, o Cordeiro que tira o pecado do mundo, o Cordeiro que removeu a pedra da entrada do sepulcro e dele se levantou, o Cordeiro que subiu ao céu e desemperrou a história ao abrir o livro selado com sete selos — então encontramos alguém que se importa verdadeira e objetivamente por nós e perdemos todo resíduo de inferioridade e de superioridade. Apesar de nossa pequenez frente à majestade do universo e ao “bestiário de luxúrias”, entendemos que a graça nos fez herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo, o Agnus Dei!

AUTOR: Elben M. Lenz César

"SIGA O EXEMPLO"

TEMA: APOCALIPSE, Cap. 03 v. 11

Jesus fala à Igreja de Filadélfia a respeito de coisas que precisamos guardar em nossas vidas espirituais. Encontramos duas Igrejas que não contêm nenhuma crítica: Esmirna uma congregação pobre que enfrentava perseguição e Filadélfia uma congregação fraca e limitada, mas que dependia de Deus.

1. Filadélfia: Ficava entre Pérgamo e Laodicéia. Localização estratégica de acesso entre os países antigos de Frígia, Lídia e Mísia. Foi fundada pelo rei de Pérgamo, Atalo, cerca de 140 a.C. Ele foi conhecido por sua lealdade ao seu irmão, assim dando origem ao nome da cidade (Filadélfia significa amor fraternal). A região produzia uvas e o povo honrava Dionísio, o deus grego do vinho. Foi destruída por um terremoto em 17 d.C. e reconstruída pelo imperador Tibério. Hoje fica na Turquia.

2. Conheço as tuas obras: Jesus conhece as suas obras. (Is. 66 v. 18) = “Porque conheço as suas obras e os seus pensamentos; vem o dia em que ajuntarei todas as nações e línguas; e virão e verão a minha glória.”

3. Porta aberta: Jesus já oferece encorajamento aos seus discípulos, acesso e oportunidades. (Cl. 04 v. 03) = “Orando também juntamente por nós, para que Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual estou também preso.”

4. Tens pouca força: Fraqueza nem sempre sugere pecado. Jesus não condena esta igreja. Pode ser que fossem poucos em número, ou de outra maneira limitados em capacidade. (II Co. 12 v. 09) = “E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.”

5. Não negaste o meu nome: Apesar de suas limitações, a igreja em Filadélfia se mantinha fiel. Guardava a palavra de Jesus e resistiam os da sinagoga de satanás. Não desistiram! (Sl. 56 v. 03) = “No dia em que eu temer, hei de confiar em ti.”

6. Venho sem demora ! Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa: Para a maioria em Sardes, seria um dia de angústia. Para os cristãos em Filadélfia, seria um dia de alívio. Nós precisamos guardar: Salvação, Espírito Santo, Palavra de Deus, Amor, Fé, Esperança, Dons, Ministérios. (Sl. 119 v. 112) = “Inclinei o meu coração a guardar os teus estatutos, para sempre, até ao fim.”

7. Ele nos protegerá: Pode ser uma referência à perseguição que começou no reinado de Domiciano e que causou terrível sofrimento e a morte de centenas de milhares de pessoas, ou a Grande Tribulação. (Is. O4 v. 05) = “E criará o SENHOR sobre todo o lugar do monte de Sião, e sobre as suas assembléias, uma nuvem de dia e uma fumaça, e um resplendor de fogo flamejante de noite; porque sobre toda a glória haverá proteção.”

8. Ao vencedor: (Ap. 03 v. 09) = “Eis que os farei vir, seus inimigos e prostrar-se aos teus pés e conhecer que eu te amei.” Fá-lo-ei coluna no santuário do meu Deus. (I Pe. 02 v. 05) = “Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.” (II Tm. 04 v. 07) = “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei fé.” (I Tm. 06 v. 20) = “Ó Timóteo, guarda o depósito que te foi confiado…”
AUTOR: Presbítero Geraldo de Almeida Filho

segunda-feira, 1 de junho de 2009

"O QUE AGRADA A DEUS"

TEMA: GÊNESIS Cap. 06 v. 08

Amar a Deus acima de tudo: (Mt. 22 v. 35)= E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Confiar Nele completamente: (Gn. 06 v. 22)= Assim fez Noé; conforme a tudo o que Deus lhe mandou, assim o fez.

1º Noé nunca viu chuva
2º Estava longe do mar
3º Tinha que reunir e tomar conta dos animais

Quando louvamos e damos graças: (Sl. 43 v. 04)= Então irei ao altar de Deus, a Deus, que é a minha grande alegria, e com harpa te louvarei, ó Deus, Deus meu.

Quando mantemos a santidade: (Iº Ts. 04 v. 07)= Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação.

Conservando a linguagem: (Tt. 02 v. 08)= Linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós. / (Iº Co. 01 v. 10)= Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer.

Conservando o relacionamento: (Jo. 17 v. 21)= Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.

Quando usamos nossas habilidades: (Iº Pe. 04 v. 10)= Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.

AUTOR: Presbítero Geraldo de Almeida Filho (Geraldinho)