quarta-feira, 24 de junho de 2009

"TURBULÊNCIA"


Foi ali no cenáculo que Jesus falou aos seus discípulos: “Não se turbe o vosso coração” (Jo 14.1). Outras versões dizem: “Não se perturbe o vosso coração”. A Bíblia na Linguagem de Hoje registra: “Não fiquem tristes e preocupados”. A paráfrase da Bíblia Viva afirma: “Que os corações de vocês não fiquem aflitos”.


Embora menos usado, o verbo turbar parece ser mais próprio que o verbo perturbar. Turbar significa revolver, agitar, transtornar, inquietar, desassossegar, sentir grande comoção, abalar-se, tornar-se sombrio. E é tudo isso que Jesus está pedindo aos seus discípulos para não fazer.

O momento era muito próprio para um conselho desta natureza. Estavam todos perplexos com a revelação de que um dos doze estava traindo a Jesus e que esse apóstolo era Judas, cujo verdadeiro caráter ninguém conhecia até então. Estavam todos perplexos porque Jesus havia revelado que logo Pedro o negaria três vezes ainda naquela noite. Estavam todos perplexos porque Jesus lhes havia asseverado: “Esta noite, todos vós vos escandalizareis comigo; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho ficarão dispersas” (Mt 26.31).

O pior, porém, estava para acontecer em seguida. Aquele que operava sinais extraordinários, que havia transformado água em vinho, que havia multiplicado pães e peixes, que havia acalmado o vento e as ondas do mar, aquele que curava toda sorte de enfermidade, que ressuscitava mortos, chamava de hipócritas os escribas e fariseus, pregava com autoridade, perdoava pecados, se aproximava de publicanos e pecadores, se apresentava como o enviado de Deus, aquele que escapou de ser preso e morto inúmeras vezes — seria entregue nas mãos dos homens para ser preso, zombado, espancado, humilhado e morto naquele mesmo dia.

Na mente ainda tacanha e incrédula dos discípulos, isso interromperia o ministério triunfante de Jesus. Eles não estavam levando em consideração a ressurreição do Mestre ao terceiro dia, tantas vezes anunciada pelo próprio Senhor. Era essa omissão que tornava aquele período de turbulência extremamente difícil. Três dias depois, o Senhor ressuscitou, como havia dito, e aquela turbulência acabou.

Em meio a uma turbulência qualquer, daquele ou de outro porte, menor e mais suave, as palavras de Jesus devem ser levadas em consideração: “Não se turbe o vosso coração”.

Postar um comentário