quarta-feira, 19 de agosto de 2015

"ANTES DE DESISTIR!"



“Mas a esperança volta quando penso no seguinte: O amor do Senhor Deus não se acaba, e a sua bondade não tem fim. Esse amor e essa bondade são novos todas as manhãs; e como é grande a fidelidade do Senhor! Deus é tudo o que tenho; por isso, confio nele.” Lm 3.21 (NTLH)

Não existem estatísticas precisas, mas muitos pastores e líderes têm desistido do ministério, quer seja por causa do desânimo, pela dificuldade em obter resultados, pelas decepções com pessoas, ou pelo fascínio com outras coisas deste mundo. Sobre os que permaneceram firmes, arrisco-me afirmar que em algum momento pensaram em desistir pelos mesmos motivos. O que faz com que pessoas permaneçam e outras desistam?

A primeira característica evidente dos que permanecem firmes é uma profunda convicção de seu chamamento ao ministério. Mantém acesa a chama do primeiro amor ao Senhor e nunca deixam apagar de sua memória os momentos que marcaram esse chamamento. Renovam-se diariamente na presença do Senhor em seu momento devocional, deliciando-se na Palavra e socorrendo-se na oração. Sabem apreciar as grandes obras de Deus e ficam assombrados com o caráter do Senhor.


Outra característica notável nestes guerreiros é a capacidade de restringir suas expectativas e reconhecer os limites pessoais. Ao dosar melhor o que esperar, descansam na soberania de Deus. Se acontecer algo maravilhoso, reconhecem que foi a ação do Senhor. Caso o caos ao redor não apresenta melhoras, insistem na oração. Se a realidade de qualquer forma não mudar, mantém sua firme convicção que Deus tem seus propósitos, meios e tempos. Pode parecer certo conformismo, mas é mesmo. Afinal, sabem que Deus é Deus!

Percebo que muitos destes maratonistas no ministério adotam a prioridade de relacionamentos acima de tudo. Fazem amigos na caminhada. Tem sempre alguém com quem conversar, dar risadas, chorar, discutir, ou mesmo simplesmente ficar em silêncio.

Não são testemunhas isoladas das circunstâncias que os cercam, mas tem sempre algumas pessoas contando a história junto, pois viveram juntos. Respeitam, ouvem, mas também falam e são ouvidos. Muitas vezes são o instrumento de Deus para a visão exata para o momento, mas aceitam se a direção sair da boca do companheiro. São livres do desejo de serem proprietário das idéias.


Assim também aconteceu com o profeta Jeremias que estava a ponto de desistir de tudo e da própria vida. Contudo, ao invés de focar os problemas ao redor, as dificuldades nos relacionamentos, as frustrações do pouco resultado, o profeta conduziu seu coração ao que traz esperança. Faça isso também!


AUTOR: Rodolfo Garcia Montosa.
Postar um comentário