terça-feira, 25 de agosto de 2015

"SONDA-ME, SENHOR!"



Baseado em Salmo 139

Sonda-me, Senhor! Expondo um coração de pastor.

Sonda-me, Senhor, nas profundezas do meu ser! Tu sabes todas as coisas! Nada, absolutamente nada posso esconder do Teu exame profundo. Tu sondas todas as coisas. Estás onde queres estar. A Tua Palavra é viva e eficaz e penetra até a divisão da alma e espírito, discernindo pensamentos e intenções do coração (Hb 4.12). Enquanto os homens podem ver o meu exterior, Tu me vês por dentro, lá nas entranhas. No recôndito da minha alma. Tu conheces as intenções do meu fraco coração. Tu examinas perfeitamente os porões do meu subconsciente. Trazes à tona o que preciso confessar. 

Engano-me pensando que posso me esconder de Ti. Sinto medo e vergonha. Fico alienado em relação à Tua sondagem. Como sou um bronco, um ignorante quando não valorizo a Tua onisciência. Vivo muitas vezes como se Tu não estivesses em todo lugar ao mesmo tempo! Como se não conhecesses todas as coisas! Tu és o Deus Amoroso (o Teu amor é muito maior que o amor de mãe, Is 49.15), Misericordioso (as Tuas misericórdias se renovam a cada manhã e elas não têm fim, Lm 3.22), Santíssimo (Tu nos ordenas a que sejamos santos porque Tu és Santo, Lv 19.2), Gracioso (a Tua graça tem se manifestado trazendo salvação, Tt 2.14), Bondoso (o profeta Naum diz que Tu és Bom, Na 1.7) e sempre Fiel a Ti mesmo, pois ainda que sejamos infiéis Tu permaneces Fiel porque não podes negar-Te a Ti mesmo, 2 Tm 2.13)! 

Senhor, que eu viva os dias com os quais Tu me presenteias com temor e tremor! Que eu saiba que Tu és o Deus de amor, mas também de severidade. Tu és o Deus Santíssimo, revestido de Glória e Majestade. Estás no trono reinando soberanamente (Ap 4.1-11). És o Pai sensível às nossas múltiplas necessidades. Só Tu podes supri-las em Cristo Jesus (Fil 4.19,20). Tu és o Deus da graça que nos aceita plenamente em Cristo Jesus. O nosso coração descansa em Ti, que nos perdoa por causa de Ti mesmo e do Teu amor por nós. Tu és o Deus que nos traz segurança perfeita pelo Teu amor revelado em Cristo (Rm 8.38,39).


Jesus em nós

Os sacerdotes intermediaram o Teu povo na relação contigo. Os profetas falaram de Ti ao povo. Trouxeram o Teu recado. Revelaram as manifestações do Teu juízo e do Teu amor. O Senhor Jesus trouxe a Ti mesmo a nós! Que benção, que alegria e que paz! O Teu Filho nos prometeu a paz (João 14.27). As minhas entranhas são recriadas por causa de Ti mesmo, Deus Sublime, Pai incomparável. Tu me recebes no Teu coração com festa, com júbilo por causa do Teu Filho, o Senhor Jesus Cristo, que a Si mesmo se deu por mim!

Como Agostinho, quero Te dizer: "Senhor, Tu me conheces como eu sou. Já Te disse com que fruto me vou confessando a Ti. Não te faço esta confissão com palavra e vozes da carne, mas com palavras da alma e gritos do pensamento, que Teus ouvidos já conhecem. Quando sou mau, o confessar-me a Ti é o mesmo que desagradar-me a mim próprio; porém, quando sou bom, o confessar-me a Ti só significa que não atribuo nada a mim, porque abençoas, Senhor, o justo e o justificas. Assim, ó meu Deus, a confissão que faço na Tua presença é e não é em silêncio. É em silencio quanto às palavras; mas é em clamor quanto aos afetos. Nenhuma verdade digo aos homens que Tu já antes não tenhas ouvido. Nem me ouves nada que já antes não tinhas dito" (Confissões, p. 240). 

Senhor, se Tu és por mim, quem será contra mim? Tu me amas tanto que não poupaste o Teu próprio Filho e O entregaste por mim na cruz. Sei que Tu me darás com Ele todas as coisas. Quem, portanto, trará acusação contra mim, Teu filho, salvo pela graça mediante a fé? És Tu que me justificas em Cristo Jesus. Tenho a certeza absoluta de que nada, absolutamente nada me separará no Teu amor que está em Cristo Jesus, meu Senhor (Rm 8.31-39). Estas verdades, Senhor, fazem sossegar a minha alma. Saber que Tu Te importas comigo é deleite, é prazer em Ti mesmo! Como diz Paulo, "todas as coisas são DELE , por ELE e para ELE. A ELE seja a glória eternamente! Amém. (Rm 11.36). 

Pai, livra-me de mim mesmo - das minhas taras, dos meus desacertos, das minhas incoerências, do meu vitimismo, das minhas maldades, mágoas, dos meus ressentimentos, traumas e juízos temerários que faço dos outros! Que eu sempre possa amar-Te por quem Tu és! Amar-Te de todo o meu coração, de toda a minha alma, de todo o meu entendimento e com todas as minhas forças e ao próximo como a mim mesmo (Mt 22.34-40). Não permitas que eu Te adore com base em interesses escusos e segundas intenções! Ensinas-me a descansar em Ti mesmo e sempre para o Teu louvor e a Tua Glória!


AUTOR: Oswaldo Luiz Gomes Jacob 
Postar um comentário