terça-feira, 10 de maio de 2016

"COMUNICANDO CRISTO OU UMA INSTITUIÇÃO RELIGIOSA?"




Pesados investimentos têm sido aplicados em comunicação nas igrejas com resultados expressivos. Mas será que esses esforços são para que o Evangelho seja anunciado ou para que templos sejam quantitativamente cheios e instituições religiosas se tornem famosas e poderosas? Para quem está dirigida a glória?

Há uma sutil diferença que não é patente à maioria das pessoas e que sempre foi explorada por mercadores da Palavra de Deus. O termo marketing (comercializar), apesar de parecer recente, não é nenhuma novidade para a Igreja de Cristo. Em II Coríntios 02:17, o apóstolo Paulo já alertava: "Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus".

É natural que igrejas cristãs preguem a Cristo, e é o que todos esperam. Perceber se igrejas estão pregando a si mesmas ou à Cristo é um bom ponto de partida para desembaraçarmos parte das confusões que existem no meio evangélico. Nesta mesma carta Paulo esclarece: "Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como vossos servos, por amor de Jesus" II Cor 04:05

Mesmo no meio secular Jesus Cristo é sempre um excelente apelo publicitário e vemos que hoje muitas igrejas pregam o Senhor por interesse próprio, por amor a si. Querem membros para suas igrejas humanistas e não para o Corpo de Cristo.

Técnicas de comunicação realmente funcionam em instituições religiosas, mas esta crítica é para discernirmos se queremos chamar a atenção para uma placa ou para o chamado que temos de pregar o evangelho. Qual é o foco? Qual é a intenção do nosso coração? Glória para os profissionais de comunicação, de administração, para líderes ministeriais, para pastores e igrejas ou para o Senhor?

O Senhor Jesus deixou bem claro que: "Eu não aceito a glória que vem dos homens" João 05:41

Que Deus, na sua infinita graça, nos mostre que verdadeiramente o Reino de Deus será expandido por amor a Ele e para a glória Dele, caso contrário, nossas igrejas fracassarão neste intento.

"Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém! Romanos 11:36.



AUTOR: Júlio Resende
Postar um comentário